Ginecomastia

É definido como o desenvolvimento excessivo das mamas em homens. 

Este fato causa constrangimento e vergonha para alguns homens ao ficar sem camisa na praia ou até mesmo com suas parceiras.

Essa alteração pode ocorrer em qualquer fase da vida. Por questões hormonais, o crescimento exagerado das mamas costuma aparecer ainda na puberdade, porém é mais frequente nos homens com excesso de peso. Também pode predispor ao surgimento do aumento das mamas com o uso abusivo de anabolizantes. Além de gerar um desconforto psicológico, em alguns casos pode vir a sentir uma leve dor à palpação.

Uma das questões que definem o tipo de tratamento cirúrgico é o grau da ginecomastia.

Em casos em que não haja flacidez da pele e há predomínio de gordura, o tratamento cirúrgico consiste em lipoaspiração. Existem casos em que há predomínio de tecido mamário, duro, e portanto a cirurgia é a retirada do tecido mamário através de um cicatriz na parte inferior da aréola , como mostrado na foto abaixo. Agora, já em casos em que ocorre maior flacidez da pele, a cicatriz necessária para a correção pode ser periareolar total ( ao redor de toda a aréola), em formato de “i” ou em “T”.

O Dr. Wellerson Mattioli participa ativamente de Congressos Nacionais e Internacionais para atualização da técnica e das novidades em cirurgia plástica.
A abdominoplastia é realizada em ambiente hospitalar com equipamentos de suporte, recursos para pronto atendimento, laboratórios e unidade de terapia intensiva.
Todas estas recomendações serão explicadas na consulta, além de serem entregues a você por escrito.

Tipo de anestesias: Usualmente a anestesia e do tipo local com sedação, podendo ser peridural com sedação ou geral. É importante salientar que em nenhum caso o paciente fica acordado ou sente qualquer desconforto durante a cirurgia.

Tempo de duração: Varia de 40 minutos a até 90 minutos.

Período de internação: Normalmente tem alta no mesmo dia.

Evolução pós-operatória: Normalmente a recuperação é rápida. Após o procedimento o paciente é liberado com a orientação dos medicamentos e cuidados locais necessários, o inchaço aumenta nas primeiras 72 horas. Após esses primeiros dias a cirurgia começa a estabilizar e diminuir o inchaço, drenagem linfática é benéfica e ajuda a acelerar esse processo. Os pontos são retirados após cerca de 7 dias e o uso de uma malha compressiva tipo colete na região é obrigatória por 30 dias. No final do primeiro mês o edema (inchaço) já diminuiu cerca de 70% e o paciente já está bastante feliz com o procedimento, mas o resultado final com a forma definitiva só acontece após 4 a 6 meses.
O procedimento não costuma ser doloroso, sendo facilmente controlável a dor, com o uso de analgésicos comuns.

Cicatriz: O tipo de cicatriz pode variar desde um pequena incisão de 1 cm no sulco mamário (se for realizado somente lipoaspiração) a até cicatrizes semi lunares ao redor da aréola (quando é necessário retirar a glândula mamária mas não à pele excedente) e cicatrizes em L ou T ou transversa para casos mais severos, em que existe muita pele em excesso.

Curativos: O paciente sai da clínica com a orientação de não mexer no curativo nos dois primeiros dias, no terceiro dia ele poderá tomar banho e realizar o curativo, que é feito com um antisséptico e compressas de gaze, qualquer orientação mais específica ao caso é dada quando da alta da clínica e é entregue por escrito para não haver dúvidas para o paciente.

Recomendações pré-operatórias

  • Comunicar até 2 dias antes da cirurgia, qualquer ocorrência, tal como gripe, indisposição, febre, período menstrual, etc.
  • Internar-se no hospital/clínica, obedecendo ao horário indicado na guia.
  • Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico (o que inclui também os diuréticos).
  • Evitar bebidas alcoólicas ou refeições fartas na véspera da cirurgia.

Recomendações pós-operatórias

  • Evitar levantar os braços acima dos ombros por 15 dias ou pegar peso nos primeiros 30 dias após a cirurgia – essa recomendação é diferente para pacientes com diversos graus de ginecomastia, devendo ser mais rigorosa para os casos mais severos.
  • Realizar os curativos diariamente de acordo com as recomendações.
  • Usar o colete compressivo pelo período mínimo de 30 dias.
  • A realização de drenagem linfática pós-operatória não é obrigatória, mas ajuda em muito a recuperação Pós-operatória, antecipando a recuperação e o aparecimento do resultado para a paciente.