Mastoplastia Redutora

Seios excessivamente grandes causam muito desconforto. Seja por fatores genéticos ou após a amamentação.
O fato é que quando estamos descontentes com o tamanho das mamas é inevitável andar curvando os ombros na tentativa de disfarçar, e com o passar dos anos pode resultar em dores nas costas e até mesmo problemas na coluna.
Algumas mulheres passam a ter certas limitações na sua rotina. Outro incomodo são as assaduras na parte inferior do seio ocasionando dores e machucados constantes nos ombros por causa da alça do sutiã. Felizmente a cirurgia plástica de redução pode resolver muitos desses problemas.

Para quem é indicada a Mastoplastia Redutora?

  • Diminuir o tamanho (volume) das mamas;
  • Suspender (elevar) as mamas
  • Melhor o aspecto das aréolas deixando-as menores e na posição correta
  • Melhorar a forma das mamas
  • Um corpo com aparência mais harmônica;
  • Mamas mais simétricas;
  • Melhorar a autoestima e confiança
  • Amenizar dores nas costas e incômodos nos ombros

O Dr. Wellerson Mattioli participa ativamente de Congressos Nacionais e Internacionais para atualização da técnica e das novidades em cirurgia plástica.
A abdominoplastia é realizada em ambiente hospitalar com equipamentos de suporte, recursos para pronto atendimento, laboratórios e unidade de terapia intensiva.
Todas estas recomendações serão explicadas na consulta, além de serem entregues a você por escrito.

Você já ouviu falar na Redução de Mama com “Prótese Natural” ?

Esta é uma das técnicas mais seguras e com resultados satisfatórios.

Neste caso, utilizamos a própria mama da paciente para remodelar o tecido (deixando como uma “bolinha”) e fixando na parte superior da mama. Assim preserva-se o tecido de melhor qualidade, elevando para o decote e modelando melhor a mama. De acordo com artigos científicos, além de dar um melhor formato, esta técnica promove resultados mais duradouros.

Você sabia que existem várias cicatrizes possíveis para uma mamoplastia?

O que determina a escolha entre qual cicatriz será utilizada, é a necessidade de cada paciente individualmente, ou seja a cicatriz será a que conseguiremos te dar melhor resultado. Ela depende do que será necessário realizar. É necessário diminuir a areolar ( cicatriz periareolar)….é necessário elevar a posição da aréola ( Pirulito)…é necessário também retirar muita flacidez da pele ( cicatriz em L ou T)

Tipo de anestesias:
Normalmente é a anestesia geral, porém pode ser feita sob anestesia local (associada à sedação), bloqueio intercostal ou peridural, ficando a critério da equipe anestésica. É importante salientar que em nenhum caso o paciente fica acordado ou sente qualquer desconforto durante a cirurgia.

Tempo de duração:
Em média 3 a 4 horas, variando com a técnica utilizada.


Período de internação:
Normalmente 1 dia.

Evolução pós-operatória:
Normalmente têm-se uma recuperação muito boa e rápida. A paciente deverá retornar ao consultório entre 24 ou 48 horas para realizar o primeiro curativo e retirada do dreno.Para garantir o melhor resultado da cirurgia é necessário o uso do sutiã, colocado no final do procedimento, por um mês.

Cicatriz:
O local das cicatrizes pode variar de acordo com a técnica utilizada e o tamanho das mamas. Podem ser em T”, “L”, de “I”, ou ainda ser Peri areolar (em torno da aréola do seio).

Recomendações pré-operatórias

  • Comunicar até 2 dias antes da cirurgia, qualquer ocorrência, como gripe, indisposição, febre, etc.
  • Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer, homeopáticos, antiinflamatórios e AAS, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico (o que inclui também os diuréticos).
  • Evitar bebidas alcoólicas ou refeições fartas na véspera da cirurgia.
  • Tomar banho usando sabonete anti-séptico (como protex, soapex, Lifebuoy…) 48hs antes da cirurgia. 
  • Obedecer ao horário indicado de jejum de pelo menos 8 horas (não tomar nem água).

Recomendações pós-operatórias

  • Devido ao fato de estar se sentindo muito bem, a paciente às vezes pode esquecer de que foi operada recentemente, permitindo esforços prematuros que poderão lhe trazer prejuízos.
  • Não erguer os braços acima do ombro por 15 dias.
  • Somente voltar a dirigir após liberada por nossa equipe médica – usualmente após 15 dias e obedecer às instruções que serão dadas por ocasião da alta hospitalar, relativas à movimentação dos membros superiores ou massagens.
  • Evitar molhar o curativo nas primeiras 48 horas.
  • Obedecer rigorosamente à prescrição médica.
  • Voltar ao consultório para a troca de curativos e controle pós-operatório nos dias e horários marcados.
  • Alimentação normal (salvo em casos especiais, que receberão orientação específica).
  • Consultar este folheto informativo tantas vezes quantas se fizerem necessárias para esclarecer e eliminar perfeitamente suas dúvidas. Restando algum questionamento, contatar o (a) cirurgião.

Retirada dos pontos:
Na média, são retirados em torno do 7º ao 10º dia.